Palestras Motivacionais para Empresas

Palestra Motivacional para Professores
Domingo, 19 de novembro de 2017. Bom dia!
Artigos sobre Motivação no Trabalho em Equipe
Contatos
51 3029-1430




Depoimentos

“Um trabalho de superação. Relevante, profundo e transformador.”


Nelsi Muller
Secretária de Educação do RS na gestão 2006





Indique nossos conteúdos
sobre motivação para professores
e motivação para o trabalho
 para seus amigos!

*Seu Nome: 
*Seu E-mail: 
*Nome amigo(a): 
*E-mail amigo(a): 





Marketing by

Negocios de Valor - Especialista em Prospecção de Clientes

Motivação do Trabalho em Equipe
Relacionamento Interpessoal
Dr. Deroní Sabbi* - 10/03/2011


Há uma discussão muito antiga sobre o que é que faz com que haja motivação no trabalho em equipe. Alguns defendem a tese de que o dinheiro é o fator principal e que é ele o fator mágico que faz com que os colaboradores renovem o entusiasmo e a motivação. No entanto, tem-se observado que passado algum tempo, a gratificação financeira se incorpora como algo que o funcionário vê como básico e ela deixa de ter um efeito estimulante.

Há outro grupo de estudiosos e profissionais que defende que a motivação no trabalho em equipe é algo que vai além da simples gratificação financeira. Defendem que há uma série de estímulos externos, que criam condições positivas e estimulantes no ambiente, como clima emocional alegre e uma interação agradável com os colegas, referências positivas, estímulos, exemplos inspiradores, prêmios, reconhecimento, reforços positivos e feedbacks que lhe possibilitem avaliar seu desempenho e orientá-lo na caminhada para uma maior produtividade.

Podemos perceber com facilidade que neste segundo grupo de fatores sobressaem-se a empatia e as habilidades de relacionamento interpessoal, como fatores fundamentais, e a motivação no trabalho depende muito de como o colaborador se relaciona com a equipe e com a liderança. Desde que nascemos, começamos a viver em grupos, e os padrões de relacionamento interpessoal que desenvolvemos nos primeiros anos de vida e como se dá a socialização na escola vem influenciar muito a forma da pessoa se relacionar no ambiente profissional, especialmente em tempos de acirrada competitividade que caracteriza o mercado neste mundo globalizado onde as mudanças são cada vez mais rápidas.

O Psicólogo norte-americano Daniel Goleman reuniu uma série de pesquisas que mostram que 87 % das pessoas que perderam seus empregos, o perderam exatamente por fatores ligados a inteligência emocional, conforme descreve no livro Inteligência Emocional. Como também explano em meu livro “Sinto, logo Existo, onde traduzo para uma linguagem mais simples e direta que a inteligência emocional é constituída basicamente de autoconhecimento, automotivação, autocontrole, a capacidade de administrar as próprias emoções, como o medo, a tristeza, a raiva, a alegria e o afeto, a resiliência, a empatia e as habilidades de relacionamento interpessoal. A empatia, particularmente, ganha uma ênfase, é a capacidade de se colocar no lugar do outro, sentir como o outro sente, compreender suas necessidades e motivações  e interagir sinergicamente com os outros numa direção comum. Quanto mais cada um dos integrantes de uma equipe tiver estas qualidades mais esta condição positiva se alimenta. Isto quer dizer que a maior parte  do sucesso profissional depende destas habilidades. A motivação no trabalho em equipe e a produtividade são maiores na medida em que a pessoa faz uso de sua capacidade de superar seus conflitos internos e os conflitos com outras pessoas, administrar as emoções e se relacionar com as pessoas de maneira agradável, afetiva e flexível.

A motivação no trabalho em equipe depende do relacionamento interpessoal dos integrantes e em como o líder a inspira. E para que haja uma interação inteligente e sinérgica entre as pessoas é importante que desenvolvam competências como a capacidade de ouvir e de se colocar no lugar do outro, perceber como o outro percebe o mundo, a partir de suas características, necessidades e motivações. Assim o time passa a conviver e interagir com as diferenças e manifestar um respeito pelas escolhas dos outros, uma apreciação genuína pela individualidade de cada um. Quando cada um dos participantes da equipe direciona suas ações e movimentos de maneira sinérgica, somam-se as habilidades e cria-se um clima organizacional inspirador e visionário.

Num cenário competitivo torna-se essencial elaborar estratégias para agregar valor e eficácia aos processos e angariar mais resultados, somando as habilidades técnicas às competências emocionais, gerando maior interação, energia e integração. Para alcançar este objetivo tenho utilizado diversos instrumentos, desde os anos de 1980, em meus workshops in company, e também naqueles abertos as pessoas em geral, que possibilitam um estreitamento dos laços e uma ampliação do sentimento de fraternidade e afetividade, além de uma ampliação da sensibilidade e das competências emocionais. O efeito destes elementos no clima organizacional é impressionante e renovador. Utilizo uma série de tecnologias comportamentais que podem trazer à tona os recursos e potenciais da equipe e de cada um, e uma das atividades essenciais é fazer com que cada um perceba que estratégia usa para se motivar. Permite também ajustar o foco individual ao foco organizacional. Entre elas está a Programação Neurolinguística, dinâmica de grupo e jogos de empresa, e Terapia da Linha do Tempo, além das ferramentas poderosas de Coach e da Educação Emocional. E percebe-se claramente que à medida que o processo de treinamento ocorre as pessoas vão encontrando uma maior identificação com os companheiros, vivenciando um nível de compartilhamento saudável de emoções que em alguns casos transcende o que os participantes já viveram e viabiliza uma maior capacidade de experienciar os valores éticos, como a humildade, ousadia, integridade e transparência.  E quando retornam ao seu ambiente profissional, o resultado mais visível é um aumento da motivação no trabalho em equipe, que passa a ter mais energia e um toque de entusiasmo e inspiração, que otimizam o clima organizacional, tornando-se um investimento com alta taxa de retorno.
    
Quando a equipe se transforma em um time, e cada um sente que está envolvido num clima de sinergia e movimento rumo a uma visão que atrai e encanta os componentes deste time de uma maneira apaixonada e inteira; os resultados e a performance se mostram crescentes, ampliando a motivação no trabalho em equipe. Para que isto aconteça é necessário uma identidade profunda do objetivo buscado pelo grupo com os motivos individuais de cada um.

Na medida em que o integrante do time perceba que seus objetivos pessoais e da equipe convergem, terá mais possibilidade de se comprometer. A visualização clara do que queremos pode mobilizar a motivação no trabalho, individualmente ou em grupo. Quando perguntavam ao atleta do século XX, Pelé, o que estava fazendo quando era visto de olhos fechados antes de entrar em campo, ele respondia: “Estou programando a minha atuação nas nossas jogadas.”  Quando estamos realmente motivados nos sentimos envolvidos por uma sensação agradável, confortável, nos sentimos encantados, antenados, saudavelmente impulsionados a alcançar o que queremos a ponto de nos dispormos a enfrentar os obstáculos ou qualquer torcida contrária. Imagine o Clima Organizacional num grupo com integrantes que possuem sintonia entre a identificação de objetivos pessoais com os propósitos organizacionais. Uma otimização na performance e mais resultados é praticamente inevitável.

Para se manter motivado é preciso ter metas e uma visão clara de onde queremos chegar com o caminho passo a passo. Saber que recursos já temos e quais precisamos implementar e qual o impacto do que desejamos em cada aspecto de nossa vida e o entorno nos auxiliará a perceber se temos restrições internas ao objetivo. Isto diminuirá a possibilidade de auto-sabotagem, que geralmente ocorre quando nosso projeto é vago ou muito amplo ou pouco definido quando não temos a consciência ampla das implicações do que queremos, pois podem haver objetivos conflitantes sem que nos demos conta.  Sendo específico, claro e definindo várias etapas e dedicando-se a vencer uma a uma fica mais simples de evitar as auto-sabotagens e atingir a meta, ampliando a motivação no trabalho em equipe. Não podemos esperar que surjam as oportunidades para começar, mas dar-se conta de que cada um precisa ir criando as oportunidades e fazer acontecer com nossas próprias mãos. O que vale para uma pessoa, neste aspecto também vale para um time em busca de um objetivo.     

Importante é que a visão do objetivo alcançado mexa com a alma de cada componente do time. Vemos no futebol que muitas vezes há jogadores que individualmente são excelentes, mas não são escalados por serem muito individualistas e não se integram efetivamente no movimento do grupo. Felipão não convocou Romário, apesar das pressões até mesmo do presidente da República na época, Fernando Henrique Cardoso, como noticiaram os jornais, e justificou que ele como jogador era excelente, mas acreditava que não se integraria na equipe. Investiu no conceito de grupo, acreditou que para uma equipe forte precisavam todos superar o individualismo e aprender cada vez mais a viver como parte de um grupo. E alcançou seus objetivos como vimos. E podemos fazer uma analogia com o processo que ocorre no ambiente organizacional. E o resultado final deste processo será um aumento perceptível na motivação no trabalho em equipe e uma integração entre as habilidades técnicas, gerenciais e ligadas a gestão de pessoas e competência emocional.

Na medida em que a equipe se sinta parte de um objetivo maior e seus integrantes percebam que estão construindo algo que faz sentido, e cada um está disposto a abrir mão dos méritos pessoais em função de um mérito da equipe, se criará uma sinergia poderosa e uma vantagem competitiva perceptível, especialmente quando a identidade da equipe se funde numa experiência transcendente e inspiradora. O resultado é mais do que uma meta alcançada, é um profundo sentido de contribuição, de realização e de propósito pleno de sentido e tudo começa com o desenvolvimento das habilidades de relacionamento interpessoal que ajudam a proporcionar mais motivação no trabalho em equipe!

Descubra como os produtos e serviços do Instituto Sabbi de Desenvolvimento Humano podem contribuir com você, com os funcionários e colaboradores de sua empresa ou com os professores de sua instituição de ensino!



Palestras Motivacionais
Palestras Motivacionais para Empresas

Palestras Motivacionais para EmpresasAs Palestras Motivacionais para Empresas sensibilizam funcionários e colaboradores para o despertar dos motivos que justificam eles realizarem suas tarefas com entusiasmo e determinação para a produtividade.

As Palestras são comunicadas com a experiência e conhecimento do Palestrante Motivacional Dr. Deroní Sabbi que ministrou mais de 1.800 palestras para empresas de todos os portes.





 


Instituto Sabbi de Desenvolvimento Humano
Palestra Motivacional para Professores & Palestras Motivacionais para Empresas

51 3029-1430

Instituto Sabbi - Porto Alegre - RS - Brasil